11 de set de 2007




hoje o mar apascenta os homens
como se fosse imensa campina,
da matéria mais fértil e pacífica.


hoje o mar é uma grande fêmea
em seu momento mais próprio
e está emprenhado de dádivas.


nem lembra ser aquela criatura
que a tanto fascínio amedronta.
o mar de hoje é um céu na terra,


o horizonte que ao nosso pé está.
não penso mais um outro paraíso
além deste que nos abraça já.


* O poema é do meu querido amigo-poeta Héber Sales

Escrito por Leila Andrade 5:05 PM

 
<BODY>