28 de jun de 2007


Entre-
vagando por estradas em curva
as sombras crescem em meu corpo

despejo meu ar sóbrio
por um caminho qualquer

mente em outro lugar do futuro
e o presente aqui em pedaços

Escrito por Leila Andrade 9:20 PM

 
19 de jun de 2007


Ventos de paz
em águas minhas

Mas há delírios
ancorados

E traços
das escolhas
indiscretos

Escrito por Leila Andrade 9:18 AM

 
6 de jun de 2007



minhas mãos sentem o tempo
na palma
incursões em linhas quebradas

depois, restos de flores no chão
amarelidades
inverno beirando o fundo da alma.

Escrito por Leila Andrade 8:53 AM

 
<BODY>