28 de nov de 2013

Foto: Leila Andrade


 



novembro

há o tempo exato do giro, do círculo,
da meio de tudo
independente das vontades, manias
cálculos

que não haja gosto amargo  de certos finais
hoje inícios de alamedas
das varandas,  promessas, ternuras
por mais que seja passado, pesado
repetido o medo

mas este, sim,  um dia crítico e tardio
- todo ano será -
de quem só leva nos desejos nada tão óbvio:
certas  desordens do íntimo

e o perigo de pousar
muito lenta e ser absolutamente
nada além de mim a me guiar






Escrito por Leila Andrade 1:01 PM

 
<BODY>