6 de jun de 2007



minhas mãos sentem o tempo
na palma
incursões em linhas quebradas

depois, restos de flores no chão
amarelidades
inverno beirando o fundo da alma.

Escrito por Leila Andrade 8:53 AM

 
<BODY>