26 de out de 2006


Entendam: não é uma questão de ser melhor que este ou esta, é de ser diferente, de morar numa galáxia mais distante. Se a galáxia é mais brilhante, aí é outra história.
Simplesmente, porque há uma questão de formação que envolve sentido de vida, de passos, de atitudes. Não há inteligência que suprima a bondade, a luz interior, não há compulsão que ganhe do prazer infinito de tocar estrelas, espaço de tempo que te emociona tanto que a água corre feroz. Depende de amor maior. Quem já sentiu assim o sabe.
Não reconheço alguns passos, não é tão fácil digerir e seguir, mas é o melhor a fazer. Não se debater contra o Universo. Não olhar para trás, quando necessário. Conseguir ainda estender a mão se preciso for.
E necessariamente, preservar a luz acesa, junto a uma janela aberta para a noite. Sempre.


Escrito por Leila Andrade 7:47 AM

 
<BODY>